domingo, 31 de julho de 2011

Continuação do capitulo 1.

Queridos amigos e leitores os trechos a seguir podem ser chocantes mais foi tudo verdade.

        Mulher o teu pai era uma pessoa legal, fazia de tudo um pouco, as vezes até me ajudava na limpeza da casa, isso quando ele tava bem, mais ele tinha um grande problema, que era o maior defeito e fraqueza dele, que era o vicio dele com as drogas.

       
            
Uma pausa por favor, eu confeço que ate o presente momento eu não sabia ou não lembrava que meu pai era usuário de drogas, fiquei um pouco chocada quando ela me falou isso, mais também não achei nenhum drama de novela mexicana, achei normal apesar de saber que usar drogas é um erro e também uma fraqueza do homem que se envolve nessa teia de aranha. E quis saber mais sobre meu pai, não o porque dele usar drogas, pois isso eu supus já que meu pai nasceu no dia 2 de Abril de 1955, então ele foi um adolescente jovem, bonito e roqueiro no fim dos anos 60 e inicio dos anos 70, um período onde em todo o mundo as pessoas lutavam pela liberdade, pelo amor, a paz e foi nessa época que surgiu a frase, ‘Sexo, Drogas and Rock N’Roll’, os adolescentes da época também viviam assim, no ‘Paz e Amor’, se liga bicho?
            Nesse período as drogas eram leves, era so a maconha, daí os não satisfeitos criaram o LSD mais conhecido como Lança Perfume, não satisfeitos alguns usavam Opiun e daí por diante os ‘Não Satisfeitos’ foram criando novas drogas e a cada dia drogas mais pesadas. Então infelizmente para minha família, o meu pai foi um jovem como muitos da época que eram desprovidos dos malefícios que essas drogas podem causar em seu futuro. Minha mãe disse que ele era usuário de drogas desde a adolescência, mais quando ela conheceu ele, ela não fazia idéia de que ele tinha esse problema, porque ele sempre aparentou ser muito bonito e saudável e ele nunca demonstrou ou se quer falou pra ela que tinha esse problema.
        Ela disse que so descobriu por que teve uma vez que ela estava grávida de mim isso já la na Suíça e o meu pai havia sumido já fazia bem uns 3 dias, até pra minha avó Madeleine (que é a mãe do meu pai) ela ligou, mais a mesma nada disse sobre o problema do meu pai e também não sabia onde ele estava.
- Era sempre assim mulher, quando ele saia com os amigos dele pra se drogar, ele saia e passava dias sem voltar pra casa e eu ficava doidinha em casa sem saber onde ele tava ou como ele estava. Até que uma vez um amigo dele apareceu la em casa, perguntando pelo o teu pai e eu não fazia idéia de onde ele estava. Esse suposto amigo do teu pai queria comprar drogas e ele me deu a entender que teu pai vendia drogas pra ele, como eu não sabia de nada, so disse que não sabia onde tava o Phellipe e não sabia onde ele guardava as drogas dele.
         Quando eu fechei a porta, fiquei furiosa em descobrir que o teu pai usava drogas e não tinha me dito nada, ai vasculhei a casa inteira até eu achar mulher, estava bem escondidinho enrolado em um saco entre umas roupas na parte de cima do guarda-roupas, havia uma colher, um saquinho com um pó branco e uma seringa, puxa vida eu fiquei passada, era heroína, teu pai gostava de se picar e eu não sabia, nunca havia percebido isso, sempre o corpo dele era perfeito nenhuma mancha de picada no braço, bixa eu já trabalhei como enfermeira sei reconhecer a picada no braço de alguém, mais o braço do teu pai não se via nada. Depois de dias sumido ele chega em casa com a cara mais lavada do mundo e a gente começa  a brigar sobre o assunto sabe, mais nada muda, eu não queria voltar pro Brasil e também queria ajudar o teu pai a parar de se drogar sabe. Então eu passei por um período muito difícil por que eu já tava com uns 7 meses grávida de tu e ele mais uma vez havia sumido, ele me deixou sozinha no apartamento sem nenhum dinheiro e eu não tinha ninguém pra me ajudar, eu passei quase uma semana so com um pacote de macarrão, doida de fome e grávida, pense foi horrível, ate que um desses amigos do teu pai apareceu la pra comprar droga, na hora eu corri pra procurar se o teu pai tinha deixado alguma coisa dentro de casa, ai eu achei e vendi mesmo o bixa, porque se eu não vendesse eu ia passar fome e não tinha ninguém pra me ajudar.
           Outra pausa pra pegar fôlego. Pesado ein essa historia, mais foi tudo verdade segundo a minha mãe.
- Tu nasceu de uma raiva que o teu pai me fez. Eu tava com 7 meses,  faltava uns 10 dias pra completar 8 meses de gestação, ai eu e o teu pai agente teve uma briga tão feia, se não me engano foi por causa das drogas dele e das bebidas, eu pegava as bebidas dele e jogava tudo fora, mais era tudo em vão, que eu tive um ataque cardíaco e  tive que ir pro hospital e o taxista nada de querer me levar, porque la na Suíça se eu morresse dentro do taxi dele ele podia ser considerado culpado. Mais ai ele acabou me levando, isso eu fui sozinha pro hospital. Chagando la eles tiveram que fazer o parto na hora, depois o medico me disse que ou eu ou você íamos morrendo no parto, porque eu já tava quase tendo uma Eclampse na hora do parto e que segundo as expectativas deles uma de nos duas morreríamos, mais não sei porque Deus foi tão grande que estamos aqui as duas vivas e com saúde.
        Tu nasceu no dia 21 de Abril de 1990 as sete e quarenta da manhã, medindo 52cm com 3,330 kg nasceu grandona, cabeluda e  a cara do teu pai todinha. Agora ele não podia nem negar que era filha dele, eu achei tão bom, pense lavei minha alma. Foi tão interessante, tu saiu até na capa do jornal de Neuchâtel, eles te chamaram de arco-íris a noticia dizia assim: ‘Nasce hoje em Neuchâtel (e vários detalhes) a pequena arco-íris’. Ei bixa mais num é pra ficar se sentindo não (risos), porque la em Neuchâtel isso é normal eles fazem essas reportagem todos os dias, é porque la dificilmente tem algum crime pra eles noticiarem, então eles escrevem de quem nasceu, quem casou, quem morreu, essas coisas que aqui no Brasil quase não acontece, não de falar de pessoas comum ele podem ate noticiar quem nasceu ou morreu mais aqui so falam dos famosos.
         Quando o teu pai te viu, ele ficou louco por ti, te chamava de princesa, nossa senhora ele era louco, louco por ti mulher. E a tua avó quando foi te visitar la no hospital que eu pensei que ela ia querer te matar (risos), bixa ela te pegou nos braços, tu toda molesinha ainda sabe e te levou pra janela do quarto, abriu a janela e te ergueu pra fora dela, eu dei um grito achando que ela era louca e tal, poruqe tava nevando um frio desgraçado e ela te pos pra fora tu nem tava bem agasalhada nem nada, ai ela disse:
- Calma Gessinha, aqui na Suíça quando uma criança nasce no inverno é assim que agente ‘batiza’ a criança, é pra ela se acostumar logo com o frio.
Ai ela te tirou da janela e te devolveu pra mim, mulher eu quase que mato a velha.


ps: a vida de uma pessoa pode ser curta ou longa, mais certamente se ela veio para marca a vida de muitas outras, essas coisas irão acontecer , nos não temos o direito de jugar a ninguém, por suas atitudes, pois não sabemos o tamanho da cruz que 'o(a) mesmo(a)' carrega e o quanto ele aguenta carregar de peso.

Obrigado a todos pela atenção.

Elisa Tripet

sábado, 23 de julho de 2011

Ecrevendo um Livro, continuação do capitulo 1.



         Eu como muitas crianças curiosas fui fazendo aquelas velhas perguntas que todas as crianças perguntam para os seus pais, ‘e como a senhora conheceu meu pai?’; acho que a única pergunta que nunca fiz a minha mãe foi sobre como eu vim ao mundo, não sei como mais eu já sabia como as pessoas vem ao mundo. Então eu poupei ela de me responder isso e os meus ouvidos das longas historias dela, posso até imaginar o que ela responderia ‘bixa, o babado é o seguinte, tudo começa assim’ ia levantar as sobrancelhas e os olhos, balançaria a cabeça dela como so ela fazia e ia me enrolar ao maximo até achar uma boa forma de me responder e terminaria me respondendo de uma forma suave.
       Então ela começou a me contar como tudo começou, com relação a minha vida. Ela começou a falar que sempre gostou muito de viajar e que desde os dezessete anos dela ela gostava de ir para Jericoacoara, que era o refugio dela, mas que também ia muito para o Belém do Pará, cidade onde uma parte da nossa família vive. E foi la na praça da Republica em Belém do Pará que minha mãe conheceu meu pai, e ai ela começou:      
            ‘Mulher eu tinha ido na praça pra jantar e todos os restaurantes e bares estavam lotados, ai eu achei uma mesa, me sentei e pedi um caldo, quando eu menos espero tinha um lourão do meu lado todo cheio de sotaque perguntando se podia sentar na mesa que eu tava, ai tu sabe como eu sou ne, olhei pra ele com aquele olhar que tu já sabe qual é, é aquele olhar que todo Silveira tem e disse que ele podia sentar, ele ficou puxando papo e eu sem ta afim, ai agente foi se conhecendo, passamos um ano namorando a distância, ele la na Suíça e eu aqui no Brasil, so trocando carta, mulher tu precisava ver as cartas que ele me mandava, toda enfeitada, cheia de adesivos, umas coisas tão lindas que agente se apaixonava so de ver as cartas! Infelizmente com tantas mudanças eu não tenho mais nenhuma carta, mais tu precisava ver elas pra não dizer que eu to mentindo, ai teve uma vez que ele me mandou uma carta com a passagem pra eu ir pra la, eu fiquei doidinha pra ir, so que eu precisava de uma autorização da minha mãe e do meu pai pra poder viajar pra la, porque na época se a pessoa tivesse menos de 21 anos de idade era considerado de menor então pra viajar eu tinha que ter a autorização deles para viajar.
               Meu pai não queria que eu fosse e até me ofereceu um emprego na Justiça Federal, mais eu não aceitei, porque eu queria ir pra Suíça então eles me deram a autorização e eu fui pra Suíça, mais antes eu dei a guarda da Camila para a mamãe, porque não fazia muito tempo que tinha acontecido um acidente de avião na serra de Aratanha e tinha morrido muitos familiares de amigos meus e eu fiquei com medo de que acontecesse um novo acidente, então dei a guarda da Camila pra minha mãe e também o teu pai não sabia que eu já tinha a Camila e eu fiquei com medo de contar da tua irmã pra ele e ele não me querer mais. A Camila já devia ter 1 ano de idade, mais eu tinha medo de acontecer um acidente de avião e por isso eu a deixei aqui e fui pra Suíça nos meados do ano de 87 ou foi 88. Ainda lembro da primeira vez que eu vi a neve, foi fantástico coisa de outro mundo tirei até uma foto, a Suíça é tão linda cada cidade tem um castelo, agente se sente num conto de fadas, é lindo de mais. Agente morava juntos num apartamento, eu trabalhei numa creperia e também trabalhei num hospital como enfermeira cuidando de pessoas idosas, teve uma vez que ate me chamaram pra ser enfermeira da Cruz Vermelha mais eu não quis tinha medo de um dia eles me mandarem pra alguma guerra, ai eu engravidei de ti e o teu pai ficava dizendo que tu era filha de africano, que não era filha dele, ele não acreditava que eu estava grávida dele, so que eu so tinha relações sexuais com ele e ele me pegava quase toda noite viu, ele dizia isso por causa dos amigos amigos drogado dele que ficavam colocando coisas na cabeça dele dizendo que não se podia confiar nas brasileiras, porque naquela época já existia preconceito com as brasileiras e também porque eu tinha amigos de varias partes do mundo inclusive africanos, mais tu sabe ne, que eu não tenho coragem de ficar com um negão (risos).
        Olha eu ficava tão chateado com essas desconfianças dele, eu so fazia sexo com ele, como ele podia desconfiar, em uma de nossas brigas eu lembro me lembro bem:
- esse filho não é meu, so pode ser de um africano eu tenho certeza.
- É né, é o que tu acredita? Tu prefere acreditar nesses teus amigos vagabundos do que na tua mulher. Olha Phillipe eu tenho família viu, não sou nenhuma vagabunda não, meu pai é da Justiça Federal Brasileira e a Minha mãe trabalha no MEC, a favor da educação. Eu deixei toda a minha família no Brasil pra vim pra cá porque eu te amo, meu pai me ofereceu um emprego federal so pra eu não vim pra Suíça , mais eu não aceitei, preferi vim pra cá e tu vem me desconfiar de mim? Me dizer que esse bebê não é teu! Pois quando ela nascer, ela vai nascer a tua cara! E ai eu vou calar a tua boca, a da tua mãe e a desses teu amiguinhos ai viu!



Ps: espero que gostem do livro, aceito sugestões e apoios, muito obrigado a todos!

sábado, 9 de julho de 2011

Escrevendo um livro.

Oi pessoal, alguns amigos ja sabem que eu tenho uma grande vontade de escrever um livro, contanto as historias da minha vida e da minha mãe. Essa vontade surgiu a muito tempo e vem fortalecendo em minha mente a cada dia que passa. E hoje eu tomei a decisão de sentar no computador e começar a escrever esse livro. Eu peço a ajuda de cada amigo que me conhece e conheceu minha mãe, a contar uma historia nossa ou ate mesmo para me dizer se o livro esta ficando bom.. o que tenho que mudar, dar opiniões sobre o livros e mudanças a fazer nele. Eu agradeço a atenção de todos e vou mandando logo de cara o inicio dele.

Eu quero ajuda para a escolha do titulo do livro e dos capítulos.. ok!???
Eu coloquei o nome do livro de A ESTRANGEIRA , mais eu aceito sugestões!

Então eu pensei em começar o livro com um Prologo ...


Prólogo
Quando você vai perceber que ficou louco, você sabe o que é ser louco? Segundo o dicionário português a palavra Louco quer dizer :
Adj.Aquele que perdeu a razão, doido, maluco, insensato, Fig. Dominado por violenta emoção: ficou louco de alegria, intenso, vivo.
Muitas pessoas interpretam mal essa palavra, eu so soube o prazer da loucura quando a estava curtindo, era muito fácil viver na loucura, quando se tinha o fator mãe te ajudando, a nossa loucura nunca foi essa do dicionario, nos fomos tudo menos loucas ou doidas e o prazer era tão grande, não me arrependo de nada do que foi vivido
Nós podemos dizer uma coisa pra você, “Vivemos a vida intensamente e do jeito que tinha que ser.”



CAPITULO 1.
 [possíveis títulos para o capitulo1 (a origem) ou (como tudo começou)]

        Eu sempre soube que não pertencia a este lugar, no fundo eu sabia que algo estava errado, alguma coisa aconteceu quando eu era criança que eu simplesmente esqueci de quem eu realmente era e de onde eu tinha vindo, não consigo me lembrar bem o que aconteceu mais algo mudou, isso eu tenho certeza.
         Ao longo dos dias, eu fui crescendo e começando a tomar consciência de quem realmente eu sou e de onde eu tinha vindo e o porque que eu estou aqui. Esse momento eu lembro bem, eu devia ter entre 5 a 6 anos de idade, minha avó Celestina tinha acabado de falecer e o meu pai também, depois que esses dois acontecimentos marcantes acontecerão em minha vida eu tomei consciência de quem eu era e de onde eu tinha vindo e porque eu estava aqui.
         Minha mãe nunca soube guardar segredos de mim, então ela logo começou a me contar as coisas que tinham acontecido em nossa vida antes de agente chegar aqui e o porque de estarmos neste país , ‘quando nos estávamos la na Suíça o teu Tutor (o Tutor lá na Suíça, segundo o que minha mãe me informou, é o responsável legal ou jurídico pelo desenvolvimento e educação do menor ou da criança até que a mesma atinja a maior idade ) me disse para eu não te contar nada até que você fizesse 18 anos de idade, mais eu tenho que te contar umas coisas sobre mim e o seu pai e so vou te contar porque você já tem cabeça pra entender’, lembro bem dela me falando isso quando eu tinha 10 anos de idade.
         Daí por diante tudo tomou sentido em minha vida, eu enfim sabia que tudo que acontecia era verdade e que minha mãe era minha mãe mesmo, eu não sei porque que algumas crianças têm manias de achar que são adotados ou achados na lata do lixo! Confesso que as vezes eu achava isso da minha mãe.

obs: bem.. hoje é so! Estou desenvolvendo mais coisas aqui, de inicio posto esses trechos e vocês me dizem o que a acham! ok? bjinhos e ate mais 

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Hello Tecnology!!! Abram asas a imaginação, O Futuro chegou!!

Oie gente!!!
Muito obrigado a todos que leram e gostaram do meu blog!


EL FUTURO


Vocês já imaginaram onde irão morar amanhã? rsrs Vou lhes explicar melhor, desde os tempos das pedras os homens sapiens pensam no futuro e ficam deslumbrados com o que nossa imaginação pode projetar do O QUE VAI SER?, ou COMO VAI SER O FUTURO?. Vou lhes dizer o que vai ser do futuro.
Muitas pessoas imaginaram que o mundo ia acabar quando chegasse o novo milénio(EIIII O MUNDO NEM ACABOU!! Então o que fazer!?) bem até hoje não sei bem o que fazer, mais tentei e tento agir com a razão e o coração e isso me levou a uma paixão que eu descobrir ter quando era criança.. hummm estão imaginando o que seja neh, pra quem me conhece bem já sabe o que é, isso mesmo ARQUITETURA e DESIGN DE INTERIORES. Vou lhes contar mais.. a chegada do novo milénio fez surgir uma nova geração de Arqutetos e Designers e estamos sendo cobrados todos os dias a proteger toda uma estrutura já existente e a projetar estruturas magnificas, inovadoras, a favor da natureza, eficaz, económica e que traga tudo o que for mais pratico e melhore a vida de seus habitantes. A sorte será de quem estiver nesse futuro onde um prédio poderá ter casa com direito a quintal e que neste mesmo prédio você trabalha, faz as compras de casa, faz academia e tudo mais que normalmente você faz no dia-a-dia se deslocando para vários cantos da cidade, já imaginou isso? Eu achei uma OTIMA ideia, mais depois fiquei pensando se cada prédio se tornaria um "bairro"? E já imaginou morar em uma mega ilha artificial que pode gerar sua própria energia, com direito a montanha e ainda mais, poder ver o fundo do mar ou tipo, da sua casa você poder ver o mar, não digo do lado de fora, mais como se sua casa fosse dentro do mar.Bem, isso e muito mais é o que verão os habitantes desse planeta em um futuro talvez não tão distante!

Espero que tenham gostado desse post e por favor ABRAM a boca com as imagens abaixo (risos)!!!

 
WATER BUILDING RESORT - DUBAI


 
LILYPAD CITY

Escritórios em blocos

Prédio em forma de escada



Fake Hills(China)

Prédio em forma de anel


 


Arranha-céu ecológico

Urbanismo Proposto na 

Coréia do Sul





 EDIFICIO COR - MIAMI

PHOENIX - CHINA
E mais alguns que não peguei o nome..





PS: Alguns desses progetos estão sendo colocados em pratica e outros estão em fase de analise.

Mais que são fabuloso.. isso não tenho duvidas! Espero que tenham gostado do post e do quem por ai da nossa criatividade e tecnologia! ah... ainda não tive nenhuma ideia pra criar um predio fabulo e funcional como alguns ja existentes, mais espero ter essa luz! (um dia, quem sabe!) beijos e até mais.


Elisa Tripet